fbpx
Nenhum Comentário

Ser sustentável e ainda economizar em casa!

Ser sustentável e ainda economizar em casa!

Você sabia que levar um estilo de vida mais sustentável, além de ajudar o planeta também pode ser uma forma de economizar em casa?

Diferente do que costumamos pensar, adotar hábitos mais sustentáveis não precisa doer no bolso. Quando começamos a prestar mais atenção aos nossos hábitos de consumo, passamos gradualmente a consumir menos e de forma mais inteligente. E no final dessa conta acaba até sobrando um dinheirinho extra na carteira! Nada mal, né?

E a verdade é que não precisamos fazer nada muito mirabolante para diminuir o nosso impacto. Repensando pequenos hábitos podemos fazer uma enorme diferença para o planeta e para o nosso bolso.

Separamos 4 dicas fáceis para começarmos a cuidar do planeta economizando.

1 – Trocar as lâmpadas da casa

As atitudes sustentáveis em casa podem começar pela substituição das lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou de LED. Estas últimas são ainda mais econômicas que as fluorescentes e, além disso, não contêm metais pesados, consomem apenas 8W para fornecer a mesma luminosidade de uma incandescente de 60W e duram 40 vezes mais.

2 – Decore com objetos usados e materiais naturais

Tenha atitudes sustentáveis também na hora de mobiliar e decorar a casa. Aposte no consumo consciente. Aproveitar antigos objetos e móveis antigos, de família ou de brechós, é uma das grandes tendências da decoração.

Além da beleza do desgaste natural da peça, é possível dar novos usos a esses objetos, criando ambientes personalizados. O uso de materiais naturais também colabora com o meio ambiente, por serem biodegradáveis.

3 – Tire os aparelhos da tomada

Aparelhos ligados na tomada, em stand-by, representam até 12% do total da conta de energia elétrica da casa. Por isso, não só em viagens, mas sempre que estiverem ociosos, deixe-os totalmente desligados. Luzinha vermelha acesa, mesmo com o aparelho desligado, representa um gasto silencioso de energia elétrica.

4 – Tenha mais plantas em casa

Você sabia que ter mais plantas em casa também é uma atitude sustentável que pode ajudar você a economizar? Em casa ou em apartamento, as plantas ajudam a controlar o microclima local, tornando a temperatura mais agradável.

Com isso, você reduz a necessidade de refrigeração artificial no calor, gasta menos energia e ainda colabora para melhorar a qualidade do ar através da fotossíntese.

Atitudes sustentáveis como essas, quando adotadas no dia a dia de inúmeras casas, são capazes de fazer uma grande diferença na saúde do planeta. Siga essas dicas e tenha a certeza de que, assim, você estará colaborando para a preservação do meio ambiente e melhoria da qualidade de vida.

E você? Conhece outras atitudes sustentáveis que podem ser incluídas na rotina doméstica? Compartilhe suas ideias aqui nos comentários!

Nenhum Comentário

A IMPORTÂNCIA DA FOTOGRAFIA IMOBILIÁRIA NA VENDA DO SEU IMÓVEL

A IMPORTÂNCIA DA FOTOGRAFIA IMOBILIÁRIA

Ter um imóvel a venda e não se preocupar em ter fotografias profissionais para ilustrar cada ambiente pode tirar das suas mãos as melhores oportunidades de negócio. Entenda por que.

Há duas coisas que são constantes no mundo atual: a correria no dia a dia das pessoas e a presença quase onipresente da comunicação visual. Dois pontos que explicam muito bem porque a fotografia profissional é tão importante para o mercado imobiliário.

Ainda não conseguiu fazer a ligação? Então vem comigo que eu te explico.

Devido a correria do dia a dia, as pessoas tem cada vez menos tempo para rodar a cidade em busca de imóveis que estejam disponíveis para venda, como era costume nas décadas passadas.

Isso ocasionou em uma mudança de hábitos nas pessoas que passaram a pesquisar os imóveis através da internet, seja em sites, redes sociais ou portais imobiliários. Canais que tem na comunicação visual (mais especificamente na fotografia) a maneira das empresas, profissionais do mercado ou até mesmo proprietários apresentarem os seus imóveis aos interessados.

Agora ficou tudo mais claro né? A correria do dia a dia reduz o tempo livre das pessoas. Com menos tempo elas concentram suas buscas na internet, passando a avaliar os imóveis através das imagens que as imobiliárias, corretores e proprietários disponibilizam nos canais digitais.

E é aí que entra o ponto central dessa nossa conversa:

As fotos dos seus imóveis transmitem uma boa impressão a quem busca por eles?

Não é nada raro encontrar nos canais de venda de imóveis (sejam sites, portais ou redes sociais) imóveis exibidos em fotografias escuras, com ângulos mal escolhidos e de baixa qualidade.

Isso quando a preparação do imóvel (Home Staging) não é feita e o imóvel é fotografado sujo e/ou desorganizado.

Essa falta de cuidado com a fotografia faz com que o cliente que está avaliando a possibilidade de investir no imóvel perca o interesse em adquiri-lo ou o desvalorize em relação ao seu valor de mercado.

Nesse momento você deve estar aí pensando:

“Tá! Entendi o recado. Mas e agora, como faço para ter boas fotografias para anunciar o meu imóvel?”

E para pergunta só existem duas respostas: Ou você investe em conhecimento e equipamento para que você mesmo fotografe o imóvel ou contrata um profissional capacitado para fazer por você.

Aqui na Moradia, quem cuida das fotografias dos nossos imóveis (desde o clique até o tratamento e organização das fotos no site) é o pessoal da agência Cartola Publicidade.

Vou deixar abaixo o link de dois imóveis aqui da Moradia, com a fotografia feita pela agência.

Porém, se você não tem alguém para cuidar desse trabalho para você ou não quer investir para ter essa qualidade na apresentação dos seus imóveis no momento. Vou deixar aqui 05 dicas que vão te permitir desenvolver os pilares para uma boa fotografia imobiliária.

Ficou interessado(a)? Então vamos lá:

01 – INVISTA EM EQUIPAMENTOS

Você pode até conseguir fazer boas fotos com o seu telefone celular (dependendo da qualidade da iluminação do imóvel), mas dificilmente terá fotos profissionais com esse equipamento.

Uma câmera fotográfica DSLR + uma lente com ângulo de abertura amplo é o básico para uma fotografia imobiliária profissional. Acrescentaria ainda um flash externo ou um LED para DSLR para auxiliar na iluminação de ambientes mais escuros.

02 – CONHEÇA O BÁSICO DA FOTOGRAFIA

Sem o mínimo conhecimento sobre fotografia não há bom equipamento que salve.

Por isso, faça estudos sobre a base das técnicas de fotografia. Entenda o que é fotometria e controle de exposição, ângulos de fotografia e técnicas de enquadramento.

03 – SAIBA O QUE É HOME STAGING

Essa palavrinha em inglês (complicada de pronunciar, mas fácil de entender) está ligada ao processo de arrumação do imóvel para a fotografia imobiliária ou até mesmo para visitas de possíveis clientes.

Basicamente o Home Staging trata sobre a limpeza do imóvel e a arrumação dos ambientes, deixando os espaços livres e com o mínimo de personalização possível, para que quem veja as fotos dos ambientes (ou os próprios ambientes) consiga se imaginar vivendo ali.

04 – APRENDA TÉCNICAS DE PÓS-EDIÇÃO

Engana-se quem pensa que a fotografia termina no clique. A pós-edição (processo de tratamento e refinamento das imagens) é tão importante quanto o ato de fotografar.

Isso porque na pós-edição você consegue corrigir erros e melhorar a sua fotografia, como alinhar as perspectivas, clarear ambientes escuros, corrigir cores, eliminar pontos de distração, etc.

05 – ORGANIZE A APRESENTAÇÃO DAS FOTOS

Fotos prontas e editadas? Agora é hora de inseri-las no seu canal de apresentação ao cliente (seja ele um site, redes sociais ou portais imobiliários).

E todo cuidado é preciso nesse momento, pois jogar todas as fotos na plataforma de anúncios sem uma ordem de apresentação pré-estabelecida é um erro grave e infelizmente muito comum.

O ideal é que você crie um roteiro de apresentação do seu imóvel parecido com o que seria uma visita pessoal.

Em geral as fotos das salas ou dos quartos vem primeiro, passando pela cozinha, área de serviço, banheiros e demais ambientes que seu imóvel venha a ter.

E o mais importante: A foto de capa (destaque) deve ser a melhor foto do imóvel, não necessariamente a foto da fachada.

Bem, era esse o assunto que queria tratar com vocês nesse artigo.

Espero que o conteúdo e as dicas que trouxe aqui te ajudem a fazer boas fotografias e consequentemente apresentar melhor o seu imóvel para o mercado.

Conte conosco também caso queira que o seu imóvel faça parte da nossa carteira e tenha a nossa qualidade de divulgação.

Um grande abraço e até o próximo artigo.

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

Nenhum Comentário

Mora comigo? Como se preparar para dividir o seu lar com o amor da sua vida!

Tudo o que você precisa saber antes de ir morar junto

Você tem passado mais tempo na casa do seu namorado do que na sua? Vocês têm intimidade suficiente para conversarem sobre tudo? Praticamente todos os dias da semana vocês vão se deitar juntos e não veem mais sentido em dormir separados?

Se as respostas para todas as perguntas acima são “sim”, talvez você já tenha parado para se perguntar também se não está na hora de vocês “juntarem suas coisas definitivamente” e passarem a viver juntos no mesmo lar!

Atualmente, não são poucos os casais de namorados que tomam esta decisão de morar juntos antes ou mesmo sem realizar uma cerimônia de casamento tradicional.

Morar junto já é o próprio casamento: tudo já está sendo compartilhado, começando pelo espaço, passando pela divisão de tarefas e terminando com as despesas.

O que acontece é que muitos casais se sentem mais seguros emocionalmente se não chamarem o “morar junto” de “casamento”. Caso a experiência não seja boa eles podem se separar sem carregar o peso de uma separação formal.

Qual a hora certa para morar junto?

Claro que é praticamente impossível responder a esta pergunta já que cada casal possui suas particularidades. Mas, de forma geral, a partir do momento que as “casas se misturam”, homem e mulher, talvez, possam começar a conversar a respeito de morar juntos.

Ou seja, quando ambos passam mais tempo na casa um do outro do que na própria casa; quando não veem sentido em dormir sozinhos; quando se pegam planejando a compra de um móvel que acomode as coisas de ambos; planejando uma viagem para daqui a meses; quando percebem que juntos vão economizar mais que morando em casas separadas… talvez seja esse o momento de conversar a respeito de morarem juntos.

É errado morar junto antes do casamento?

Porém, sem levar em conta a questão religiosa – que, claro, sempre deve ser respeitada e acordada entre o casal, nada é “errado” quando ambas as partes estão de acordo.

Podemos entender ‘morar junto’ como um ‘pré-casamento’. Mas, de fato, passar por essa fase não é garantia de que o relacionamento será duradouro depois do casamento formal. Trata-se de um período em que é possível estabelecer a diferença entre formar uma parceria afetiva real e ‘brincar de casinha.

Se o casal for maduro o suficiente para encarar o desafio de construir um relacionamento, o casamento será apenas uma consequência natural. Mas, se for apenas uma experimentação vazia, um jogo, os problemas e desentendimentos infantis vão aparecer em pouco tempo.

O que levar em consideração na hora de decidir morar junto?

Quem gosta mais de cozinhar? Quem acorda mais cedo para preparar o café? É cada um por si? Vamos ou não ter um animal de estimação? Muito deve ser conversado, mas o cotidiano vai revelando o que precisa ser ajustado… O fato é que o casal ‘se aprende’ com a convivência.

É fato que muita coisa muda na vida da mulher e do homem a partir do momento que eles decidem morar juntos. Se esse casal ainda morava com os pais antes de tomarem essa decisão, eles vão ter que aprender a administrar o lar. Fazer compras, cozinhar, lavar as próprias roupas, pagar as contas da casa, dividir as despesas, são algumas situações novas com as quais vão se deparar.

Caso um deles ou ambos já morem sozinhos e, portanto, já saibam o que significam essas responsabilidades, eles terão que se preparar para fazer concessões, para ajustar seu modo de viver ao modo de viver do parceiro.

Pensando em morar junto? Temos os imóveis perfeitos para fazer parte dessa nova fase da sua vida!

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

Nenhum Comentário

Vai mudar? Saiba quais cuidados vocês precisam ter no período de pandemia

Cuidados na mudança do lar no período de pandemia

É preciso tomar precauções extras de segurança e minimizar o contato social caso precise se mudar com urgência. Muitas pessoas estão se perguntando: é possível mudar de imóvel durante a pandemia do coronavírus? Em meio a proibições de viagens, pedidos generalizados de donos de casa e mandatos de distanciamento social, milhões de brasileiros estão aprendendo a se adaptar às mudanças provocadas pela pandemia da Covid-19. Praticamente todos os eventos foram remarcados ou cancelados, comércios estão com as portas fechadas, parques trancados, entre tantas outras restrições. Mas, para algumas pessoas, incluindo aquelas que já fizeram planos de mudança de imóvel, ficar parado simplesmente não é uma opção.

Então, posso mudar de apartamento ou casa durante o coronavírus?

Até o momento não existe nenhuma lei proibindo essa ação. Mas é preciso se planejar e caso esteja de mudança para um condomínio, é importante conhecer as normas adotadas pelo síndico do local para impedir o avanço da Covid-19. Também é necessário seguir todas as etapas de precaução.

Sendo assim, sugerimos que você converse com o síndico do seu novo condomínio, mantenha um bom relacionamento e faça a mudança seguindo todas as orientações. Agora, se a mudança é para uma casa residencial, vale aumentar o cuidados com a higiene e afins.

Dicas essenciais para mudar de imóvel durante a pandemia com segurança

Preparamos algumas dicas e informações importantes para tornar sua mudança mais segura, perfeita e sem estresse possível.

Sigas os cuidados e segurança para mudar de imóvel durante a pandemia – Luvas e máscaras são essenciais 

DIY se possível

Embora a maioria dos estados tenha designado serviços de mudança como “essenciais” e, portanto, ainda capazes de operar, muitas empresas de carretos e fretes reduziram o horário. Uma dica diferente da Moradia, porém, super segura é: se você conseguir, tente gerenciar a mudança por conta própria.

Mas, caso precise de ajuda, entre em contato com as empresas de mudança que trabalham na sua região. Sugerimos que você ligue para perguntar sobre os procedimentos de limpeza, se os funcionários possuem equipamentos necessários (como máscaras, luvas e botas) e confirme se existe uma política de cancelamento razoável, caso você precise alterar seus planos.

Evite ao máximo o contato físico

Se você estiver trabalhando com uma empresa de mudanças, solicite uma cotação virtual e veja se a empresa oferece serviço totalmente sem contato.

Vale a pena reforçar: esqueça os apertos de mão, por razões óbvias. Um sorriso é uma dica generosa. Você pode começar esse relacionamento através de plataformas digitais e sem sair de casa.

Tome precauções sanitárias extras

  • Use máscaras, luvas e botas. Se você estiver contratando uma empresa de mudanças, ela provavelmente terá equipamentos semelhantes para seus funcionários, mas considere ter produtos de higiene extras disponíveis.
  • Desinfecte objetos e superfícies tocados com frequência, prestando atenção especial às maçanetas das portas, torneiras, janelas e interruptores de energia.
  • Coloque sabão e toalhas de papel ao lado de pias e desinfetante para as mãos nas portas.
  • Compre novas caixas de papelão para embalar suas coisas: como sabemos, o coronavírus vive em papelão por até 24 horas; portanto, talvez não seja o momento de aproveitar caixas usadas.
máscara e alcool em gel para ser usado durante a mudança de imóvel na pandemia do coronavírus

Mudar de apartamento é um trabalho árduo, e é especialmente desafiador no momento. Mas tomando precauções extras, você pode – e vai – superar esse obstáculo.

Nenhum Comentário

Como fica o financiamento imobiliário em tempos de corona vírus?

COMO FICA O FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO EM TEMPOS DE CORONA VÍRUS?

Essa pandemia tem deixado a gente mais maluca do que mãe de gêmeos que estão aprendendo a andar. Ainda mais quando o assunto são as contas de casa. E ainda mais ainda (existe esse termo?) quando você tem nessas contas de casa, as prestações de um financiamento imobiliário para quitar.

Nossa senhora das tintas, livrai-nos dos cabelos brancos de tanta preocupação.

Então, para deixar você um pouco mais calma(o) em relação a como lidar com o seu financiamento imobiliário da melhor forma. Decidi trazer para você algumas novidades que as instituições financeiras e o governo propuseram em razão da pandemia.

Então procura uma cadeira para se sentar, pega um chazinho e vem comigo nessa leitura!

 

PAUSA PARA OS FINANCIAMENTOS HABITACIONAIS DA CAIXA

No mês passado (Maio/2020), a Caixa Econômica Federal anunciou uma medida que visa justamente amenizar os efeitos negativos que a pandemia tem causado nas economias daqueles que contrataram um financiamento imobiliário junto ao banco.

Com essa medida pessoas físicas e jurídicas, que possuem as parcelas de seu financiamento em dia (ou com no máximo 180 dias de atraso) poderão pedir a suspensão temporária dos pagamentos de suas parcelas por um período de até 120 dias (que era de 90 dias na primeira versão da medida e foi estendida).

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Duarte Guimarães, em matéria publicada pelo caderno de economia do jornal UOL:

“Ao estender a pausa na prestação do contrato habitacional para quatro meses, o banco oferece às pessoas e empresas a oportunidade de reprogramar seu orçamento diante das dificuldades que vêm enfrentando nesse período”.

Contudo, há um ponto dessa medida que demanda atenção!

Quem solicitar a pausa deverá estar ciente de que serão acrescentados valores referentes a juros, seguros e taxas ao saldo devedor do contrato.

 

SEU FINANCIAMENTO NÃO É COM A CAIXA? VEJA O QUE OUTROS BANCOS FIZERAM:

Alicerçados por novas resoluções do Conselho Monetário Nacional, os principais bancos do Brasil também tem se movimentado em relação a criar meios de minimizar os impactos das dívidas para aqueles que possuem um contrato de financiamento habitacional.

De acordo com a matéria publicada pelo site Correio Brasiliense em 06/04/2020, o banco Itaú, por exemplo, oferece a possibilidade de suspender por até 60 dias os pagamentos das parcelas mantendo a taxa de juros contratada, sem cobrança de multa. Porém, apenas para clientes que estejam com suas obrigações em dia.

Ainda segundo a matéria outros 03 grandes bancos com atuação no Brasil (Bradesco, Santander e Banco do Brasil) também adotaram medidas similares, que vão desde paralisações nos contratos até novas linhas de crédito direto ao consumidor (CDC) com condições especiais.

Por isso, é importante que você verifique junto ao banco que concedeu o seu crédito imobiliário, quais medidas foram adotadas em razão dos efeitos da pandemia.

 

OUTRAS MEDIDAS

Por fim, vale ressaltar aqui outras medidas propostas pelo Governo Federal e por empresas prestadoras de serviços essenciais (como água, energia, etc.) que podem impactar diretamente no seu orçamento familiar e, consequentemente, no cumprimento das mensalidades do seu financiamento.

Um ótimo exemplo é o adiamento para Agosto de 2020 dos pagamentos sobre a contribuição patronal ao INSS, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e dos Programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep).

Assim como o adiamento por até 06 meses para o recolhimento dos impostos para empresas que estão nos modelos de tributação simples nacional e para os microempreendedores.

Outra medida tomada é a proibição dos cortes em serviços de abastecimento de energia, água e telefonia para inadimplentes (o que não significa que deixar de pagar as contas é uma boa ideia, afinal multas e juros ainda vigoram para contas em atraso).

 

É BOM FICAR ESPERTO!

Se várias medidas foram tomadas para minimizar os impactos do Corona Vírus na economia, dois dos principais vilões do bolso das famílias brasileiras passou ileso: Os juros e multas do Cartão de crédito.

Por isso, pense duas vezes antes de usar o limite do seu cartão para compras que não sejam extremamente necessárias. Afinal, se há algo que pode comprometer profundamente o seu financiamento imobiliário é uma bola de neve de juros sobre juros do seu cartão de crédito.

 

 

Bem, era isso o que eu tinha para falar com vocês sobre as mudanças no financiamento imobiliário em tempos de Corona Vírus.

 

Se você gostou do artigo, publique-o em suas redes sociais e encaminhe aos amigos que gostariam de saber mais sobre o assunto. Lembre-se também de conferir os outros artigos que temos aqui no BLOG e de seguir a Moradia nas redes sociais.

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

 

Nenhum Comentário

Comprar um imóvel como investimento

O que você deve (ou não) fazer ao comprar um imóvel como investimento!

 

O Mercado Imobiliário sempre foi um porto seguro para aqueles buscam por segurança na hora de fazer um investimento. Porém, é preciso tomar alguns cuidados na hora de investir no mercado imobiliário. Afinal, os valores que envolvem a compra de um imóvel são altos, e erros graves podem resultar em grandes prejuízos.

 

Por isso, hoje preparamos este artigo para te contar algumas dicas sobre o que você deve ou não deve fazer na hora de comprar um imóvel como investimento.

 

Esse é um assunto que te interessa? Então foca aqui comigo nessa leitura de 03 minutinhos e aumente o seu conhecimento sobre investimentos imobiliários.

 

DICA 01 – NÃO SEJA UM(A) AVENTUREIRO(A)

Aventurar-se no mercado imobiliário quase sempre resulta em grandes prejuízos financeiros.

Investir bem em imóveis exige conhecimento de mercado, contatos com proprietários e construtores e também habilidades interpessoais para conduzir bem um negócio.

Por isso se você ainda não está acostumado a realizar, por conta própria, investimentos com valores tão expressivos, como acontece na aquisição de um imóvel, é indispensável buscar o suporte de corretores sérios e competentes para te orientar ao longo do processo.

Bons corretores reúnem habilidades conhecem a fundo o mercado em que você deseja investir e certamente vão saber te indicar o imóvel mais apropriado para o perfil de investimento que você busca.

Além disso, alguns corretores (como os da Moradia) contam com acesso fácil aos consultores de bancos e entidades, responsáveis pela aprovação ou não de crédito imobiliário. O que representa um ganho de tempo, caso você precise complementar o valor para o investimento.

 

DICA 02 – IMÓVEIS NOVOS OU USADOS?

Ao longo dos nossos mais de 47 anos de história, conduzimos negociações de imóveis, tanto novos, como usados, que resultaram em lucros expressivos aos investidores.

Contudo, existe uma clara diferença de visão que se deve ter ao investir em cada um desses perfis de imóveis.

Com imóveis novos, o ideal é escolher imóveis que estejam sendo negociados antes de iniciar a construção. Os chamados imóveis na planta.

Imóveis adquiridos na planta podem ter valorização de mercado de mais de 20% após a conclusão das obras.

Porém, mais uma vez é preciso cuidado e precisão na escolha do imóvel a investir. Localização, estudo sobre o perfil de renda dos moradores da região e a reputação/qualidade da construtora são elementos indispensáveis para se analisar antes de investir em um imóvel desse perfil.

Já com imóveis usados, o ideal é ter um bom capital de compra e visão de mercado para encontrar imóveis que estejam em uma boa região, porém, precisem de uma boa reforma para aumentar seu valor.

Mais uma vez contar com o suporte de um corretor profissional pode ser o “pulo do gato” para você encontrar um imóvel usado que esteja disponível para venda por um valor atrativo.

 

DICA 03 – LOTES E TERRENOS

Poucos perfis de investimentos imobiliários possibilitam retornos tão expressivos quanto lotes e terrenos.

Quem investiu há 10, 20 anos em terrenos na região central dos bairros Cidade Nova em Santana do Paraíso ou do bairro Cidade Nobre em Ipatinga, certamente hoje possuem patrimônios que valem 10x mais (sendo modesto) do que quando concretizaram a compra.

Basta um evento acontecer na região do imóvel (como a vinda de uma multinacional ou a melhora da infraestrutura viária) para que um terreno tenha seu valor potencializado.

O que não quer dizer que o contrário também não possa acontecer e implicar em desvalorização do patrimônio.

Por isso, o ideal é manter-se atento para as oportunidades para investir no início da valorização de uma região e fazer a revenda em seu pico de maior retorno.

 

DICA 04 – USE A RAZÃO

Comprar um imóvel sempre envolve uma grande carga emotiva.

Porém, quando o assunto é adquirir imóvel como investimento, as emoções são péssimas conselheiras.

Analise bem e pacientemente todas as variáveis que envolvem o imóvel que deseja investir, sem deixar passar nada.

Preço, localização, perfil de construção, perfil de renda dos moradores da região, reputação da construtoras, condições políticas atuais e todas outras variáveis que possam (e vão) influenciar na valorização do patrimônio.

Só tem retornos consideráveis com investimentos imobiliários, quem consegue dominar a emoção e investir no imóvel para vendê-lo no momento mais favorável.

Conforme prometidos temos aqui 04 ótimas dicas sobre investimento imobiliário em uma leitura de 05 minutinhos.

Se esse conteúdo te trouxe uma nova visão sobre o que você deve ou não deve fazer ao investir no mercado imobiliário, compartilhe o artigo com seus amigos e familiares que também gostariam de saber mais sobre o assunto.

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

 

Nenhum Comentário

Boas práticas para o home office

Home office: o que é, como fazer e boas práticas para render

Trabalhar em casa, até pouco tempo atrás, costumava ser uma questão de escolha para profissionais de alguns setores. Fazer home office por um dia para se concentrar melhor, por questões familiares ou de saúde era um benefício oferecido por algumas empresas. Outras permitem o trabalho remoto contínuo, um desafio dos tempos modernos. Para muita gente, esse contexto mudou completamente com a pandemia de coronavírus, ou Covid-19, no começo do ano de 2020.

O post que você está lendo foi escrito nesse contexto. Daqui a algum tempo, quando isso tudo passar, ele será atualizado e vamos retirar as menções à doença. Agora, porém, entendemos que precisamos ajudar nossos clientes, parceiros e o público em geral a lidar da melhor forma com o trabalho remoto. Vamos trazer boas fontes e nosso próprio expertise, já que a RD conta com times em diferentes cidades e muitos profissionais em home office. Esperamos que o conteúdo seja útil para você!

Antes de continuarmos, vale mais um contexto em tempos de coronavírus. Nós aqui da RD temos consciência de que somos privilegiados por podermos fazer home office. Você, a esta altura dos acontecimentos, se estiver na mesma situação, também já deve ter percebido isso. O fato de podermos trabalhar remotamente deve ser recebido com gratidão, e devemos fazer o que estiver ao nosso alcance para diminuir os riscos das pessoas que não têm essa possibilidade – e elas são ampla maioria.

Enfim, estamos todos juntos nessa, e vamos sair também todos juntos! Continue lendo o post e, ao final, deixe ainda as suas dicas de home office nos comentários.

O que é home office?

Home office, em inglês, é um espaço de trabalho dentro de casa, como um escritório ou um cômodo adaptado. No Brasil, a expressão “fazer home office” virou sinônimo de trabalhar em casa. Talvez devêssemos repensar alguns anglicismos desnecessários, mas isso é assunto para outro post.

Vale ressaltar, porém, que “trabalho remoto” – que até usamos neste post – não seria uma tradução perfeita. Isso porque home office é específico para trabalho em casa, enquanto o trabalho remoto pode ser feito em diferentes locais – como um café, um coworking ou o sofá daquele amigo que tem a internet mais rápida que a sua. Não abuse da amizade!

Associamos o avanço das tecnologias de telecomunicação e da internet ao home office. Afinal, em geral, os trabalhos realizados remotamente hoje são quase todos feitos pelo computador:

É bem possível que, na história da sua família, haja um avô ou avó que fez um home office mais “raiz”. Talvez até seus pais. Era muito comum o trabalho de costureiras em casa ou a “venda” no andar de baixo do sobrado – a famosa “lojinha”. Hoje em dia mesmo, a cozinha é o “home office” de muita gente que produz alimentos para vender.

Isso para não puxar para um passado ainda mais distante, como os ferreiros, artesãos e apotecários medievais que criavam seus produtos e atendiam seus clientes em suas casas. Aí veio a Revolução Industrial e mudou tudo.

Ou seja, home office é mais um tema em que a nossa geração se considera pioneira, mas que já tem histórico. Então, ligue para seus avós para pedir algumas dicas e perguntar como eles estão nessa época de coronavírus, que é ainda mais assustadora para eles.

Estatísticas de home office no Brasil

Para entender melhor o contexto do trabalho em casa no Brasil, podemos olhar as estatísticas. Os números mais recentes do IBGE são de 2018, divulgados no fim de 2019. A série histórica de dados começou a ser levantada em 2012. Nesse período, o crescimento do home office foi de 44,4,%, chegando a um total de 3,8 milhões de pessoas.

Esse número correspondia a 5,2% do contingente de trabalhadores no país, excluindo servidores públicos e domésticos. Como dissemos no começo do texto, trata-se de uma minoria. Também na abertura do post, falamos no privilégio de poder optar pelo home office. De acordo com IBGE, a realidade brasileira se deve muito mais à informalidade.

Em 2018, 41,1% da força de trabalho desempenhava atividades informais. Muitas dessas pessoas acabavam realizando atividades diretamente de casa. Se você estiver em um momento desses, mesmo que por necessidade, dê uma olhada nas dicas que daremos a seguir. Quem sabe elas te ajudam a alcançar seus objetivos mais rapidamente!

Por fim, um dado relevante da pesquisa do IBGE: o maior salto do home office no Brasil foi entre 2017 e 2018, com um crescimento de 21,1%. De novo, isso não necessariamente reflete uma escolha dos trabalhadores, mas é um indicativo de uma tendência dos tempos modernos, da nossa geração.

Portanto, você também terá o que contar para seus avós na ligação telefônica! Aliás, dá uma ligadinha agora para eles, depois você volta aqui e continua lendo o texto.

Vantagens do home office

Sabemos que praticamente em todas as situações existem vantagens e desvantagens. Contudo, como estamos vivendo um momento único frente ao Covid-19 e as palavras de ordem incluem responsabilidade e capacidade de adequação, temos consciência de que o home office é uma das saídas mais eficientes e necessárias no cenário atual.

Logo, vamos falar das vantagens desse modelo de trabalho e focar, em outras palavras, no lado positivo da situação. Afinal, todos precisamos de um alento, vamos lá! 😉

Flexibilidade e comodidade

A flexibilidade de horários é uma das maiores vantagens do home office, afinal, você organizará seu próprio tempo e tarefas.

Se a sua empresa atua em horário comercial, claro, é importante estar online ao mesmo tempo em que os seus colegas estão. Porém, nada impede que, caso você se sinta mais produtivo à noite ou de madrugada, adiante o trabalho do próximo dia nestes períodos – só não vale deixar o trabalho da data atual para a madrugada do dia seguinte, hein?

Além disso, pense no tempo que você irá economizar. Afinal, não será necessário se deslocar até o local de trabalho, ou seja, nada de horas no trânsito ou imprevistos como acidentes e engarrafamentos – seja no ônibus, no Uber ou no seu próprio carro!

Qualidade de vida e economia

Por falar em tempo economizado, ele poderá servir tanto para melhorar sua produtividade como para investimentos em qualidade de vida. Aí vão algumas opções para as horas que vão sobrar:

Praticar atividades físicas (ainda que em casa, vários exercícios podem ser realizados);
Colocar aquele projeto especial – pessoal ou profissional – que ficou de lado em prática;
Passar mais tempo de qualidade com a família, participando mais ativamente da vida dos filhos, dando atenção para animais de estimação, fazendo refeições em conjunto, entre outras atividades que antes não seria possíveis;
Estudar outro idioma, realizar cursos online, ler livros, as possibilidades são muitas!
Em paralelo, a empresa também oferece, consequentemente, mais um benefício para os colaboradores, proporcionando esses momentos e cativando-os ainda mais!

Seja para os funcionários ou para o seu negócio, a economia também é significativa quando o home office é adotado. Vários gastos podem ser reduzidos, entre eles alimentação, transporte, redução do desperdício de recursos, etc.

Sustentabilidade

De quebra, a sua estadia em casa ainda estará ajudando o planeta. Com menos pessoas se deslocando até o trabalho, consequentemente temos menos carros na rua/uso do transporte público.

Logo, isso implica na diminuição do consumo e queima de combustíveis fósseis e em uma redução significativa também nos índices de poluição do ar e sonora. Será que você já tinha pensado por este lado? Além disso, as empresas também economizam água, energia elétrica e outros recursos.

Seja o seu home office permanente ou temporário, ele será sustentável!

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

 

 

Fonte: Resultados Digitais

 

Nenhum Comentário

Minha Casa Minha Vida 2020

Cadastro, Inscrição, Simulador

Atualmente temos uma procura constante de brasileiros que estão em busca da casa própria. O Minha Casa Minha Vida 2020 é um programa que vem ajudando milhares de trabalhadores com poucos recursos a mudar de vida. E sabendo que essa necessidade é bem grande, reunimos informações muito importantes para que você entenda bem como funciona o Minha Casa Minha Vida 2020.

 

Minha Casa Minha Vida

Um dos programas mais conhecidos entre os brasileiros, auxiliando no sonho da compra da casa própria, vem crescendo cada vez mais. O Minha Casa Minha Vida oferece condições de financiamento Caixa 2020 para as famílias que querem ter um novo imóvel.

Sabendo que o procedimento de compra pode ser bem burocrático dependendo do perfil do comprador, o Governo Federal implantou o programa para que todas as famílias tenham uma chance.

Assim, de acordo com a renda de cada componente, é possível escolher uma modalidade adequada para sua negociação.

Como existe um grande número de brasileiros que buscam o programa para realizar seus financiamentos, atualmente algumas mudanças aconteceram. Então saiba nos tópicos seguintes como está funcionando e quais suas novas regras para ser subsidiado pelo Minha Casa Minha Vida 2020.

Como funciona o Minha Casa Minha Vida?

Criado com o intuito de ajudar quem está a procura de um financiamento para o imóvel, mas necessita de condições abaixo do atual mercado imobiliário.

O programa traz ferramentas para combater o atual cenário econômico do país, promovendo ações de compra e venda mais facilitadas e que podem tirar as famílias do aluguel. Por meio de parcelas pequenas e de longo prazo.

A partir disso, o Governo trouxe uma chance para quem está realizando essa procura. O modo como funciona o Minha Casa Minha Vida 2020 está sempre de acordo com a renda familiar e perfil do comprador.

Além de uma garantia no subsídio sobre o valor do seu imóvel, os juros que são aplicados são menores.

E para que o beneficiado não perca seu imóvel, é preciso pagar corretamente as parcelas que foram feitas a partir do financiamento.

Além de não estar inadimplente com as contas ligadas a moradia, como por exemplo, as taxas mensais referentes a energia, água e condomínio.

Tipos de financiamento Minha Casa Minha Vida 2020

Sempre levando em consideração a renda obtida pelas famílias que estão participando do programa, as regras são diferentes para cada caso.

Para isso, são estabelecidos alguns tipos de financiamento Minha Casa Minha Vida 2020. E assim, os valores são mais regulados e justos para seus cadastrados de acordo com o perfil de cada um deles.

Se você ainda não conhece, então confira a seguir os tipos de financiamento pelo Minha Casa, em que você pode está enquadrado:

➜ Habitação Urbana

Esse tipo de financiamento é sempre voltado para os brasileiros que desejam ter uma nova moradia em uma área urbana, ou até mesmo realizar devidas modificações no imóvel que já possui, com os atendimentos especializados para cada tipo de mudança.

➜ Habitação Rural

Foi criado com a principal finalidade de promover ao agricultor familiar, trabalhador rural e comunidades tradicionais dentro dessas regiões, ter um tipo de moradia digna no campo, independente se for construindo uma nova casa ou realizando novas alterações e melhorias na que já possui.

 

Quem pode participar do Minha Casa Minha Vida?

Como já chegamos a falar anteriormente, esse financiamento sempre é feito de acordo com a situação financeira da família, com a comprovação de renda.

Por isso, é feita uma divisão para cada tipo de categoria e assim, são definidos cada requisitos para elas.

Veja a seguir, os detalhes de quem pode participar do Minha Casa Minha Vida 2020 em seus respectivos tipos e saiba em qual faixa de financiamento se enquadra.

Para famílias que querer obter uma habitação urbana:

➜ Com renda de até R$ 1.800,00

Faixa 1: Aqui, é possível obter financiamento de até 120 meses, com prestações mensais que podem variar de R$ 80,00 a R$ 270,00, conforme a renda bruta familiar de cada uma.

➜ Com renda de até R$ 2.600,00

Faixa 1,5: É possível adquirir um imóvel onde o empreendimento é financiado pela Caixa com taxas de juros de apenas 5% ao ano e ter 30 anos para pagar, os valores dos subsídios podem ser em até 47,5 mil reais.

➜ Com renda de até R$ 4.000,00

Faixa 2: Para as família que tiverem renda bruta de até R$ 4.000,00, podem ter opções de subsídios em até R$ 29.000,00.

➜ Famílias com renda de até R$ 7.000,00

FAIXA 3: Para famílias que tiverem renda bruta de até R$ 7.000,00​​, disponibiliza taxas de juros diferenciadas em relação ao mercado para que você consiga realizar seu financiamento.

Para famílias que querem obter uma habitação rural:

➜ Grupo 1: Inclui as famílias com renda até R$ 17.000,00 ao ano, onde o subsídio é concedido pelo OGU. Para esse grupo, o valor de suas parcelas primeiras só estarão disponíveis dois meses após a entrega do seu imóvel.

➜ Grupo 2: Inclui as famílias com renda a partir de R$ 17.000,01 a R$ 33.000,00 ao ano. Com o financiamento, terão até 12 meses para construir ou reformar sua residência, com uma taxa nominal de juros de 5% ao ano e o valor do financiamento pode chegar até R$ 30.000,00.

➜ Grupo 3: Inclui as famílias com renda a partir de R$ 33.000,01 a R$ 78.000,00 ao ano. A sua família estará contando com um prazo para pagar de 7 a 10 anos após o término da obra em que você escolher realizar.

Sabendo que em alguns anos, mudanças podem acontecer, esteja ciente de que estaremos sempre mantendo você atualizado com o assunto!

Taxa de juros Minha Casa Minha Vida 2020

A aplicação da taxa de juros Minha Casa Minha Vida 2020 é mais vantajosa do que o financiamento particular. A ideia é justamente beneficiar aqueles que não têm condições de arcar com valores altos.

Dependendo do prazo escolhido para pagamento, do perfil socioeconômico do titular da compra e da faixa em que se enquadra, essas condições podem variar.

Em setembro de 2019 o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, discursou durante reunião do conselho de administração da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), realizada na sede da Confederação Nacional da Industria (CNI), em Brasília.

Na ocasião, Guimarães disse que juntamente com o ministro da Economia, Paulo Guedes, a rede bancária estudava a possibilidade de não aplicar correção monetária sobre os financiamentos do programa.

Este seria um marco no funcionamento do crédito, deixando ainda mais vantajosas as condições para compra do imóvel.

 

Inscrições Minha Casa Minha Vida 2020

Para que seja possível uma participação no programa, é preciso se atentar em como se inscrever no Minha Casa Minha Vida 2020.

Suas principais regras são os fatores que determinam quem pode está realizando sua participação, veja abaixo quais os requisitos para inscrição no Minha Casa Minha Vida:

  • O participante não poderá ter casa própria em seu nome, nem financiamento de algum outro imóvel;
  • Não pode já ter sido beneficiado por algum programa de habitação social oferecido pelo Governo, seja similar ou até mesmo o próprio programa solicitado;
  • Para pessoas que trabalham de forma autônomas, precisará está apresentando o carnê do INSS e outros detalhes de comprovação de renda solicitado.
  • E deve possuir renda de até três salários mínimos vigentes ao ano.

Além desses requisitos o Minha Casa Minha Vida também vai solicitar aos candidatos a apresentação de comprovante de renda, carteira de trabalho e contracheque atualizado.

O cadastro Minha Casa Minha Vida 2020. pode ser feito diretamente na Caixa, em órgãos de assistência social e entidades públicas conforme o funcionamento do programa no municípios, nas instituições filantrópicas parceiras e em construtoras vinculadas ao programa.

 

Cadastro Minha Casa Minha Vida 2020

Checando em qual grupos você está inserido e comparecendo até o ponto de atendimento de acordo com sua situação, é preciso seguir com o próximo passo.

A inscrição no Minha Casa Minha Vida é apenas o início do processo para conseguir ser contemplado com o programa.

Isso porque é feito um sorteio Minha Casa Minha Vida 2020 para saber quem vai ser beneficiado com o sistema de financiamento.

Caso seja sorteado, o titular deve comparecer até um posto de atendimento, comprovar sua inscrição Minha Casa Minha Vida 2020. Em seguida, validar seu cadastro, e finalmente assinar o contrato de compra do imóvel.

A Caixa, que é o banco responsável por esse financiamentos, é responsável por divulgar os contemplados por meio de um edital trazendo a lista de pessoas que poderão comparecer até a agência para início do processo.

O número de vagas, casas, construções e demais oportunidades por meio do programa, vão depender da autorização do município e da verba disponibilizada pelo governo.

Documentos necessários para o Minha Casa Minha Vida 2020

Para que você possa ser validar seu cadastro pela Caixa Econômica é preciso se atentar para as documentações exigidas pelo Minha Casa. Você pode comparecer até uma das agências do banco para fazer uma avaliação de cada um deles e ver se tudo está correto.

Para isso, você terá que apresentar:

  • Documento de identidade e CPF;
  • Certidão de Nascimento ou Casamento;
  • Comprovante de renda;
  • Extrato do seu FGTS atualizado;
  • Declaração de imposto de Renda;
  • Ficha de cadastro habitacional;

Lembre-se! Caso você precise de mais informações sobre cada tipo de documento necessário para sua validação, os correspondentes da Caixa econômica poderão estar lhe auxiliando com cada um deles. Por tanto, se ainda estiver com dúvidas, o ideal é comparecer até  uma das agências do banco.

Simulador do Minha Casa Minha Vida 2020

Com os avanços da tecnologia, é possível adiantar muita coisas sem precisar sair de casa. Inclusive, inserindo todas as opções de pagamento e valor de compra para saber como será o seu financiamento. O resultado é disponibilizado através do site da Caixa Econômica, por meio do simulador do Minha Casa Minha Vida.

É através deles que todos os cidadãos podem ter uma base referente a condição de financiamento, com valor disponível para compra, porcentagem de entrada e taxas dependendo da sua renda.

E um dos principais pontos também, é que usando o simulador, você já consegue ter uma ideia concreta de suas parcelas de pagamento, tanto como seus valor e as condições gerais.

Ainda não sabe como usá-lo? Não se preocupe! Tire suas dúvidas no simples passo a passo que fizemos para você, é bem simples:

 

  • Selecione os campos solicitados sobre o tipo de imóvel que procura e prossiga;
  • Em seguida, preencha os campos com suas informações pessoais e prossiga;
  • Escolha a opção de consórcio e veja os resultados.

Se não aparecer nada sobre sua procura, significa que não tem nenhum imóvel com seus critérios na localidade escolhida. Você pode optar por voltar o procedimento e seguir com novas buscas, basta apenas colocar outras opções diferentes.

Minha Casa Minha Vida vai acabar?

Na verdade, dificilmente o programa será suspenso ou deixará de existir, as informações referentes a esse tema surgem devido ao atraso no repasse de verbas para manutenção do sistema.

A rede bancária precisa de um fundo para permitir os financiamentos, e as construtoras responsáveis por criar condomínios com esse propósito, necessitam do dinheiro para iniciar as construções.

Em setembro de 2019, por exemplo, o governo liberou pelo menos R$443 milhões para a sustentação do programa. No entanto, no mês seguinte, portais do Sul do país reportaram o atraso no repasse da verba que causou atraso nas entregas de moradias.

De qualquer forma, o governo tem estudado maneiras para conseguir driblar a crise e alcançar ainda mais beneficiados. Trazendo taxas diferenciadas e mais vantajosas para famílias de baixa renda.

Garantia do imóvel Minha Casa Minha Vida

Sempre que você adquire um imóvel através do programa, você recebe uma série de recomendações. Isso porque o programa se preocupa bastante com a garantia do imóvel Minha Casa Minha Vida.

E pensando na sua boa convivência e como cuidar bem do local onde você vai morar, a Caixa disponibiliza um manual para que você esteja bem atento no que pode ou não fazer.

E é sempre bom está atento a esses requisitos, pois você não poderá receber a cobertura do seu contratado. Clique aqui e veja seus principais detalhes!

Contato Caixa

Ainda possui alguma dúvida sobre como é possível participar do programa? Se mesmo depois das informações que repassamos para você você ainda precisar de mais esclarecimentos sobre o Minha Casa Minha Vida 2020, você pode entre em contato para obter mais detalhes pelo número abaixo:

  • Telefone: 0800 721 6268.

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

 

Nenhum Comentário

Se divertir com a família sem sair de casa.

 05 formas de se divertir com a família sem sair de casa.

 

Passear e viajar com a família e com os amigos é sempre um programa agradável, mas também é preciso saber como se divertir em casa. Esse deve ser um plano B para aqueles dias em que você não deseja sair ou não pode.

Sabemos que o momento é complicado, então ja que estamos todos de quarentena vamos ter que usar a criatividade para se divertir sem ficar na rotina de gastar as horas livres em frente à Tv, ao computador ou ao vídeo-game.

Então vamos para alguns passatempos para fazer sem sair de casa.

Piquenique maluco

Não dá para ir ao parque? Se você tem um jardim em casa ou algum espaço livre para estender uma toalha, o piquenique já está quase completo.

Bastam algumas guloseimas para curtir a diversão, mas lembre-se, o idela é fazer com o que você tem em casa, para não ter que sair. Música e brincadeiras fazem parte do programa.

Culinária divertida

Se o lema é colocar a mão na massa, que tal brincar de chef de cozinha? As crianças podem escolher a receita, ajudar a preparar e decorar com muita criatividade. A brincadeira é divertida e faz com que as crianças se familiarizem com os afazeres domésticos, mas todo cuidado é pouco, pois cozinhar significa mexer com fogo e objetos cortantes. Os pais ou o adulto responsável pela criançada deve ficar atento aos perigos.

Campeonato de jogos

Baralho, quebra-cabeça, dominó, mímica, xadrez, dama, videogame. O que não faltam são jogos para distrair as crianças nas férias.

Mas a brincadeira fica muito mais divertida se todos organizarem um campeonato. “Crianças adoram competição. Ela é importante para que eles aprendam que tudo na vida tem um preço e que para ganhar é preciso dedicação e saber perder.

Aula de ginástica na sala

Aproveite a oportunidade para desenferrujar o esqueleto com seus filhos. É uma maneira de incentivá-los a praticar esportes e ter hábitos mais saudáveis. Mas tome cuidado para não exagerar na dose ou fazer exercícios de maneira errada. A ideia é apenas brincar. Nada de bancar o personal trainer, falando em personal, várias academias estão disponibilizando as aulas online, ou seja nao tem desculpa para ficar parado.

Sessão pipoca 

Não tem passeio mais simples e gostoso do que uma sessão pipoca. Nela, super-heróis e monstros entram em ação e a criançada se diverte e solta a imaginação: Não precisa estar no cinema para que a magia aconteça. Transforme sua sala em um cinema de última geração, com pipoca, filmes interessantes ao gosto da molecada, poltronas malucas, deixe a sala escura e até faça ingressos de papel para dar mais realidade à brincadeira.

Existem diversas atividades para serem realizadas no conforto do lar. Para muitas delas, você não precisa nem mesmo fazer um investimento a fim de torná-las divertidas. Depois dessas dicas você já sabe como se distrarir e, ao mesmo tempo, relaxar, estreitando ainda mais os laços familiares.

Ideias que te iram aproximar pais e filhos, e ainda ensinar diversas coisas para as crianças, do que desenvolver um projeto com elas. Pode ser fazer um curso online, pintura ou modelagem; ou, então, criar alguma coisa, como uma casa na árvore, objetos de madeira, de argila, uma maquete e muitos outros.

Aproveite para explorar o potencial dos seus filhos e os seus e transmitir os seus conhecimentos para eles, e aprender muito com quem está ao seu redor. Isso será muito bom para o seu desenvolvimento.

Viu como se divertir emcasa não é complicado? A única coisa necessária é a sua disposição, além de muita energia para acompanhar a animação da criançada, por exemplo. Apenas não se esqueça de que as atividades devem estar de acordo com a idade das crianças ou dos idosos e o espaço físico ao qual você tem acesso.

Que tal sugerir essas dicas para os seus amigos também? Compartilhe este artigo em suas redes sociais!

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar! 

Nenhum Comentário

A nova linha de crédito imobiliário da Caixa vale a pena? Confira.

 

Conheça os prós e contras da nova modalidade de crédito oferecido pela Caixa Econômica Federal.

 

E não é que 2020 promete ser um ano de retomada do mercado imobiliário? O ano em que começou e as novas já surgem a todo vapor para quem deseja comprar o seu imóvel, como, por exemplo, há alguns juros SELIC e mais recentemente o lançamento de mais uma opção para financiar uma compra de um imóvel.

 

No final do mês passado, a Caixa Econômica Federal anunciou sua linha de financiamento imobiliário com juros fixos para o sistema SFH (Sistema de financiamento Habitacional). Essa modalidade de crédito chega ao mercado com taxas que podem ir de 8% a 9,75% ao mês (dependendo do relacionamento com a instituição). Além disso, também oferece prazo de validade de até 360 meses (30 anos) e pode cobrir até 80% do valor do imóvel.

 

Essa opção de crédito soma-se a outras duas linhas que já existem na Caixa e que podem ser incorporadas em outras instituições nos próximos meses, que são uma linha de crédito indexada à TR e indexada à inflação (IPCA).

 

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO CRÉDITO IMOBILIÁRIO A JUROS FIXOS

 

PONTOS POSITIVOS

 

A principal vantagem dessa linha de crédito com juros fixos está na possibilidade de criar uma previsão mais concreta do valor que você pagará pelo seu imóvel.

 

Como nesse modelo não há um indexador que faz com que os valores das prestações “flutuem” de acordo com suas oscilações, você pode criar um planejamento financeiro que permita ter uma noção quase fiel quanto aos valores que você pagará ao longo do financiamento.

 

Outro ponto interessante é a observação com o lançamento dessa linha de crédito ou o aumento da participação entre instituições financeiras inseridas no país. Considerar o fato de uma caixa (que já é líder no segmento de financiadores imobiliários) contar agora com três boas opções para aqueles que buscam um negócio imobiliário, os demais bancos que usam se movimentar com sentido de seleção de opções melhores (ou com limite mínimo) para não perderem ainda mais mercado.

 

PONTOS NEGATIVOS

 

Já o lado negativo é o interesse dessa forma, nenhum momento, são os maiores praticados em excesso (a partir de 6,5% via TR e 2,95% via IPCA, atualmente).

 

Isso implica em um aumento considerável no valor final do débito e também no maior valor inicial das prestações a serem pagas, dificultando a adesão à modalidade para pessoas de baixa renda.

 

E aí, conseguiu entender um pouco mais sobre a linha de crédito imobiliário com juros fixos da Caixa? Conte aqui nos comentários a sua opinião sobre essa novidade.

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

Nenhum Comentário

Parque Ipanema

Parque Ipanema – Nosso Cartão postal  

Uma corrida, uma hidratada. Uma passeio com família, ou uma volta com seu pet. Até uma happy hour com os amigos, ou sorvetes com a criançada.  A certeza é que hoje o nosso cartão postal, agrada a todos os públicos. 

O parque foi construído com o objetivo inicial de preservar o Ribeirão Ipanema , e hoje pode se considerar o principal ponto turístico e de lazer da cidade.  O interior do parque abriga um playground para as crianças, o Parque da Ciência, quadras poliesportivas, campos de futebol, pistas de caminhada, ciclovias, anfiteatro e agora conta com 6 quiosques para agradar a todos os públicos.  

O Parque Ipanema é um parque urbano localizado no município brasileiro de Ipatinga (MG). 

O Parque fica entre os bairros Iguaçu, Jardim Panorama, Veneza, Centro e Novo Cruzeiro e sua área é estimada em 1,1 km², dentro dos quais estavam plantadas cerca de 12 mil árvores, sendo considerado assim uma das maiores áreas verdes do país localizadas dentro de um perímetro urbano.

História

Integrados ao parque, na mesma região, foram construídos o Viveiro Municipal, concluído em 1981; o Kartódromo Emerson Fittipaldi, inaugurado em 20 de outubro de 1982; o Estádio Municipal João Lamego Netto (antigo Estádio Municipal Epaminondas Mendes Brito), o Ipatingão, inaugurado em 23 de novembro de 1982; e o Centro Esportivo e Cultural Sete de Outubro, inaugurado em 1991. Também houve a inauguração da Estrada de Ferro Caminho das Águas em 12 de junho de 1999 e do Parque da Ciência em 29 de julho de 2000. A estrada de ferro, utilizada para passeios entre o parque e a chamada Estação Pouso de Água Limpa, bem como o Parque da Ciência, ocasionalmente se encontram desativados.

Estrutura e atrativos 

As pistas de caminhada e a ciclovia que intercedem o parque permitem o acesso direto a bairros próximos, como Canaã e Iguaçu. Além do lago, encontram-se no interior do parque campos de futebol, quadras, anfiteatro e o playground destinado às crianças. Próximo à área de lazer está localizado o Parque da Ciência, onde são apresentados fenômenos físicos, biológicos, químicos ou astronômicos que podem ser observados ou interagidos pelo visitante.

No mesmo espaço do Parque da Ciência e do parquinho também estão o “cantinho do cochicho”, o “caminho das estrelas”, a “nuvem d’água” e o relógio de sol.

O parque recentemente inaugurou 6 quiosques para atrair ainda mais a população. Eles são comércios com produtos diferenciados, para diversão com os amimgos e com a família. 

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!😉

Nenhum Comentário

5 dicas para não errar na hora de mobiliar cada cômodo da sua casa

 Você sabe a importância de escolher bem os móveis

para mobiliar a  sua casa?

Bom, para quem acha que mobiliar sua casa é um procedimento simples, está enganado. Uma ação de ir até uma loja, escolher o produto que mais agrada, pagar e levar para casa, não vai fazer com que você saiba a importância de escolher os móveis certos. Mobiliar um cômodo da sua casa exige organização, tranquilidade e informação. Afinal, é uma decisão que deve atender ao seu gosto e às pessoas do seu círculo de convivência por um período relativamente longo.

Se planeje antes de ir as compras. Pois o mercado oferece muitas opções e a pesquisa é uma ferramenta que pode ajudar, tanto na economia quanto nas necessidades. 

Então vamos como dicas!

Estilo 

Talvez o que você não saiba é que seria um desespero, você pode escolher apenas um estilo, diante das possibilidades infinitas de detalhes de um, núcleos de outro, enfim. Claro que na dose certa, você pode diversificar e personalizar o seu ambiente. Mobiliar agora ficou mais fácil. 

Vamos destacar alguns estilos, e um breve resumo de seus recursos.  

Estilo clássico – Esse nunca sai de moda. Elegante e marcante, os traços clássicos trazem peças sofisticadas em um espaço amplo.

Estilo retrô – Se você quiser uma casa com estilo mais dinâmico e com forte impacto visual, uma decoração retrô pode ser uma ótima opção.

Estilo rústico – O estilo country, reproduz um aspecto mais aconchegante no lar. Sua característica, é uma madeira gasta, os móveis mais antigos e a prioridade por tudo que é mais natural, sem deixar  de lado o acabamento. 

Espaço 

Com uma noção de espaço, você pode ajudar na hora de escolher seus móveis. Você deve considerar as pessoas que usam o local e a facilidade de circulação. Portanto, uma boa opção é usar móveis sob medida, assim você pode aproveitar os cantos e o espaço aéreo por exemplo, para colocar armários, gavetas, prateleiras.

Ter conhecimento do seu espaço, levará você a comprar o que é realmente é necessário. Assim, você pode abusar do seu bom gosto e criatividade.

Funcionalidade

Se você seguir as dicas acima sobre o espaço no seu ambiente. Com certeza, você chegará a uma conclusão de móveis com funcionalidade, permitem que você consiga aproveitar melhor a área do local, sem que ele fiquei com aquela sensação de claustrofobia ou muita informação.

Além de serem usados ​​em mais de uma função, os itens dessa categoria, dobram, desdobram, e podem ser reunidos em lugares menores, sem que você possa abrir mão de beleza e sofisticação.

Cores

Tenha uma paleta padrão. Errar na cor pode estragar todo o seu trabalho inicial de mobiliar sua casa. A ideia é que você deixe sempre o espaço equilibrado e em conexão. Elabore a sua paleta com os seguintes aspectos:

  • primária: formação pelas cores primárias;
  • complementar: contém como núcleos opostas do círculo cromático;
  • análoga: tem como núcleos posicionados ao lado de uma cor qualquer que foi escolhida no círculo cromático;
  • monocromática: apresenta uma única cor do círculo cromático.

Conforto 

E para finalizar as dicas de hoje, essa será essencial. Assuma o papel estético na sua decoração, trabalhe com o lado funcional, utilize bem sua paleta de cores e saiba usar o seu espaço. Contudo, não se esqueça do seu conforto. Procure por móveis que trazem elegância e acolhimento para o ambiente, mas também permitem a você e seu visitante um conforto extremo. Dê preferência a assentos macios, reclináveis ​​e com tecidos agradáveis. Conciliar estilo, beleza e conforto é uma operação que exige muita atenção. Então, se planeje  para não errar na hora de mobiliar cada cômodo da sua casa.

Veja também: DICAS PARA DECORAR SEU LAR EM 2020 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!