fbpx
Nenhum Comentário

Como se preparar para dividir um lar com o amor da sua vida!

Tudo o que você precisa saber antes de ir morar junto

Você tem passado mais tempo na casa do seu namorado do que na sua? Vocês têm intimidade suficiente para conversarem sobre tudo? Praticamente todos os dias da semana vocês vão se deitar juntos e não veem mais sentido em dormir separados?

Se as respostas para todas as perguntas acima são “sim”, talvez você já tenha parado para se perguntar também se não está na hora de vocês “juntarem suas coisas definitivamente” e passarem a viver juntos no mesmo lar!

Atualmente, não são poucos os casais de namorados que tomam esta decisão de morar juntos antes ou mesmo sem realizar uma cerimônia de casamento tradicional.

Morar junto já é o próprio casamento: tudo já está sendo compartilhado, começando pelo espaço, passando pela divisão de tarefas e terminando com as despesas.

O que acontece é que muitos casais se sentem mais seguros emocionalmente se não chamarem o “morar junto” de “casamento”. Caso a experiência não seja boa eles podem se separar sem carregar o peso de uma separação formal.

Qual a hora certa para morar junto?

Claro que é praticamente impossível responder a esta pergunta já que cada casal possui suas particularidades. Mas, de forma geral, a partir do momento que as “casas se misturam”, homem e mulher, talvez, possam começar a conversar a respeito de morar juntos.

Ou seja, quando ambos passam mais tempo na casa um do outro do que na própria casa; quando não veem sentido em dormir sozinhos; quando se pegam planejando a compra de um móvel que acomode as coisas de ambos; planejando uma viagem para daqui a meses; quando percebem que juntos vão economizar mais que morando em casas separadas… talvez seja esse o momento de conversar a respeito de morarem juntos.

É errado morar junto antes do casamento?

Porém, sem levar em conta a questão religiosa – que, claro, sempre deve ser respeitada e acordada entre o casal, nada é “errado” quando ambas as partes estão de acordo.

Podemos entender ‘morar junto’ como um ‘pré-casamento’. Mas, de fato, passar por essa fase não é garantia de que o relacionamento será duradouro depois do casamento formal. Trata-se de um período em que é possível estabelecer a diferença entre formar uma parceria afetiva real e ‘brincar de casinha.

Se o casal for maduro o suficiente para encarar o desafio de construir um relacionamento, o casamento será apenas uma consequência natural. Mas, se for apenas uma experimentação vazia, um jogo, os problemas e desentendimentos infantis vão aparecer em pouco tempo.

O que levar em consideração na hora de decidir morar junto?

Quem gosta mais de cozinhar? Quem acorda mais cedo para preparar o café? É cada um por si? Vamos ou não ter um animal de estimação? Muito deve ser conversado, mas o cotidiano vai revelando o que precisa ser ajustado… O fato é que o casal ‘se aprende’ com a convivência.

É fato que muita coisa muda na vida da mulher e do homem a partir do momento que eles decidem morar juntos. Se esse casal ainda morava com os pais antes de tomarem essa decisão, eles vão ter que aprender a administrar o lar. Fazer compras, cozinhar, lavar as próprias roupas, pagar as contas da casa, dividir as despesas, são algumas situações novas com as quais vão se deparar.

Caso um deles ou ambos já morem sozinhos e, portanto, já saibam o que significam essas responsabilidades, eles terão que se preparar para fazer concessões, para ajustar seu modo de viver ao modo de viver do parceiro.

Pensando em morar junto? Temos os imóveis perfeitos para fazer parte dessa nova fase da sua vida!

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

Nenhum Comentário

5 dicas para não errar na hora de mobiliar cada cômodo da sua casa

 Você sabe a importância de escolher bem os móveis

para mobiliar a  sua casa?

Bom, para quem acha que mobiliar sua casa é um procedimento simples, está enganado. Uma ação de ir até uma loja, escolher o produto que mais agrada, pagar e levar para casa, não vai fazer com que você saiba a importância de escolher os móveis certos. Mobiliar um cômodo da sua casa exige organização, tranquilidade e informação. Afinal, é uma decisão que deve atender ao seu gosto e às pessoas do seu círculo de convivência por um período relativamente longo.

Se planeje antes de ir as compras. Pois o mercado oferece muitas opções e a pesquisa é uma ferramenta que pode ajudar, tanto na economia quanto nas necessidades. 

Então vamos como dicas!

Estilo 

Talvez o que você não saiba é que seria um desespero, você pode escolher apenas um estilo, diante das possibilidades infinitas de detalhes de um, núcleos de outro, enfim. Claro que na dose certa, você pode diversificar e personalizar o seu ambiente. Mobiliar agora ficou mais fácil. 

Vamos destacar alguns estilos, e um breve resumo de seus recursos.  

Estilo clássico – Esse nunca sai de moda. Elegante e marcante, os traços clássicos trazem peças sofisticadas em um espaço amplo.

Estilo retrô – Se você quiser uma casa com estilo mais dinâmico e com forte impacto visual, uma decoração retrô pode ser uma ótima opção.

Estilo rústico – O estilo country, reproduz um aspecto mais aconchegante no lar. Sua característica, é uma madeira gasta, os móveis mais antigos e a prioridade por tudo que é mais natural, sem deixar  de lado o acabamento. 

Espaço 

Com uma noção de espaço, você pode ajudar na hora de escolher seus móveis. Você deve considerar as pessoas que usam o local e a facilidade de circulação. Portanto, uma boa opção é usar móveis sob medida, assim você pode aproveitar os cantos e o espaço aéreo por exemplo, para colocar armários, gavetas, prateleiras.

Ter conhecimento do seu espaço, levará você a comprar o que é realmente é necessário. Assim, você pode abusar do seu bom gosto e criatividade.

Funcionalidade

Se você seguir as dicas acima sobre o espaço no seu ambiente. Com certeza, você chegará a uma conclusão de móveis com funcionalidade, permitem que você consiga aproveitar melhor a área do local, sem que ele fiquei com aquela sensação de claustrofobia ou muita informação.

Além de serem usados ​​em mais de uma função, os itens dessa categoria, dobram, desdobram, e podem ser reunidos em lugares menores, sem que você possa abrir mão de beleza e sofisticação.

Cores

Tenha uma paleta padrão. Errar na cor pode estragar todo o seu trabalho inicial de mobiliar sua casa. A ideia é que você deixe sempre o espaço equilibrado e em conexão. Elabore a sua paleta com os seguintes aspectos:

  • primária: formação pelas cores primárias;
  • complementar: contém como núcleos opostas do círculo cromático;
  • análoga: tem como núcleos posicionados ao lado de uma cor qualquer que foi escolhida no círculo cromático;
  • monocromática: apresenta uma única cor do círculo cromático.

Conforto 

E para finalizar as dicas de hoje, essa será essencial. Assuma o papel estético na sua decoração, trabalhe com o lado funcional, utilize bem sua paleta de cores e saiba usar o seu espaço. Contudo, não se esqueça do seu conforto. Procure por móveis que trazem elegância e acolhimento para o ambiente, mas também permitem a você e seu visitante um conforto extremo. Dê preferência a assentos macios, reclináveis ​​e com tecidos agradáveis. Conciliar estilo, beleza e conforto é uma operação que exige muita atenção. Então, se planeje  para não errar na hora de mobiliar cada cômodo da sua casa.

Veja também: DICAS PARA DECORAR SEU LAR EM 2020 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!