fbpx
Nenhum Comentário

Boas práticas para o home office

Home office: o que é, como fazer e boas práticas para render

Trabalhar em casa, até pouco tempo atrás, costumava ser uma questão de escolha para profissionais de alguns setores. Fazer home office por um dia para se concentrar melhor, por questões familiares ou de saúde era um benefício oferecido por algumas empresas. Outras permitem o trabalho remoto contínuo, um desafio dos tempos modernos. Para muita gente, esse contexto mudou completamente com a pandemia de coronavírus, ou Covid-19, no começo do ano de 2020.

O post que você está lendo foi escrito nesse contexto. Daqui a algum tempo, quando isso tudo passar, ele será atualizado e vamos retirar as menções à doença. Agora, porém, entendemos que precisamos ajudar nossos clientes, parceiros e o público em geral a lidar da melhor forma com o trabalho remoto. Vamos trazer boas fontes e nosso próprio expertise, já que a RD conta com times em diferentes cidades e muitos profissionais em home office. Esperamos que o conteúdo seja útil para você!

Antes de continuarmos, vale mais um contexto em tempos de coronavírus. Nós aqui da RD temos consciência de que somos privilegiados por podermos fazer home office. Você, a esta altura dos acontecimentos, se estiver na mesma situação, também já deve ter percebido isso. O fato de podermos trabalhar remotamente deve ser recebido com gratidão, e devemos fazer o que estiver ao nosso alcance para diminuir os riscos das pessoas que não têm essa possibilidade – e elas são ampla maioria.

Enfim, estamos todos juntos nessa, e vamos sair também todos juntos! Continue lendo o post e, ao final, deixe ainda as suas dicas de home office nos comentários.

O que é home office?

Home office, em inglês, é um espaço de trabalho dentro de casa, como um escritório ou um cômodo adaptado. No Brasil, a expressão “fazer home office” virou sinônimo de trabalhar em casa. Talvez devêssemos repensar alguns anglicismos desnecessários, mas isso é assunto para outro post.

Vale ressaltar, porém, que “trabalho remoto” – que até usamos neste post – não seria uma tradução perfeita. Isso porque home office é específico para trabalho em casa, enquanto o trabalho remoto pode ser feito em diferentes locais – como um café, um coworking ou o sofá daquele amigo que tem a internet mais rápida que a sua. Não abuse da amizade!

Associamos o avanço das tecnologias de telecomunicação e da internet ao home office. Afinal, em geral, os trabalhos realizados remotamente hoje são quase todos feitos pelo computador:

É bem possível que, na história da sua família, haja um avô ou avó que fez um home office mais “raiz”. Talvez até seus pais. Era muito comum o trabalho de costureiras em casa ou a “venda” no andar de baixo do sobrado – a famosa “lojinha”. Hoje em dia mesmo, a cozinha é o “home office” de muita gente que produz alimentos para vender.

Isso para não puxar para um passado ainda mais distante, como os ferreiros, artesãos e apotecários medievais que criavam seus produtos e atendiam seus clientes em suas casas. Aí veio a Revolução Industrial e mudou tudo.

Ou seja, home office é mais um tema em que a nossa geração se considera pioneira, mas que já tem histórico. Então, ligue para seus avós para pedir algumas dicas e perguntar como eles estão nessa época de coronavírus, que é ainda mais assustadora para eles.

Estatísticas de home office no Brasil

Para entender melhor o contexto do trabalho em casa no Brasil, podemos olhar as estatísticas. Os números mais recentes do IBGE são de 2018, divulgados no fim de 2019. A série histórica de dados começou a ser levantada em 2012. Nesse período, o crescimento do home office foi de 44,4,%, chegando a um total de 3,8 milhões de pessoas.

Esse número correspondia a 5,2% do contingente de trabalhadores no país, excluindo servidores públicos e domésticos. Como dissemos no começo do texto, trata-se de uma minoria. Também na abertura do post, falamos no privilégio de poder optar pelo home office. De acordo com IBGE, a realidade brasileira se deve muito mais à informalidade.

Em 2018, 41,1% da força de trabalho desempenhava atividades informais. Muitas dessas pessoas acabavam realizando atividades diretamente de casa. Se você estiver em um momento desses, mesmo que por necessidade, dê uma olhada nas dicas que daremos a seguir. Quem sabe elas te ajudam a alcançar seus objetivos mais rapidamente!

Por fim, um dado relevante da pesquisa do IBGE: o maior salto do home office no Brasil foi entre 2017 e 2018, com um crescimento de 21,1%. De novo, isso não necessariamente reflete uma escolha dos trabalhadores, mas é um indicativo de uma tendência dos tempos modernos, da nossa geração.

Portanto, você também terá o que contar para seus avós na ligação telefônica! Aliás, dá uma ligadinha agora para eles, depois você volta aqui e continua lendo o texto.

Vantagens do home office

Sabemos que praticamente em todas as situações existem vantagens e desvantagens. Contudo, como estamos vivendo um momento único frente ao Covid-19 e as palavras de ordem incluem responsabilidade e capacidade de adequação, temos consciência de que o home office é uma das saídas mais eficientes e necessárias no cenário atual.

Logo, vamos falar das vantagens desse modelo de trabalho e focar, em outras palavras, no lado positivo da situação. Afinal, todos precisamos de um alento, vamos lá! 😉

Flexibilidade e comodidade

A flexibilidade de horários é uma das maiores vantagens do home office, afinal, você organizará seu próprio tempo e tarefas.

Se a sua empresa atua em horário comercial, claro, é importante estar online ao mesmo tempo em que os seus colegas estão. Porém, nada impede que, caso você se sinta mais produtivo à noite ou de madrugada, adiante o trabalho do próximo dia nestes períodos – só não vale deixar o trabalho da data atual para a madrugada do dia seguinte, hein?

Além disso, pense no tempo que você irá economizar. Afinal, não será necessário se deslocar até o local de trabalho, ou seja, nada de horas no trânsito ou imprevistos como acidentes e engarrafamentos – seja no ônibus, no Uber ou no seu próprio carro!

Qualidade de vida e economia

Por falar em tempo economizado, ele poderá servir tanto para melhorar sua produtividade como para investimentos em qualidade de vida. Aí vão algumas opções para as horas que vão sobrar:

Praticar atividades físicas (ainda que em casa, vários exercícios podem ser realizados);
Colocar aquele projeto especial – pessoal ou profissional – que ficou de lado em prática;
Passar mais tempo de qualidade com a família, participando mais ativamente da vida dos filhos, dando atenção para animais de estimação, fazendo refeições em conjunto, entre outras atividades que antes não seria possíveis;
Estudar outro idioma, realizar cursos online, ler livros, as possibilidades são muitas!
Em paralelo, a empresa também oferece, consequentemente, mais um benefício para os colaboradores, proporcionando esses momentos e cativando-os ainda mais!

Seja para os funcionários ou para o seu negócio, a economia também é significativa quando o home office é adotado. Vários gastos podem ser reduzidos, entre eles alimentação, transporte, redução do desperdício de recursos, etc.

Sustentabilidade

De quebra, a sua estadia em casa ainda estará ajudando o planeta. Com menos pessoas se deslocando até o trabalho, consequentemente temos menos carros na rua/uso do transporte público.

Logo, isso implica na diminuição do consumo e queima de combustíveis fósseis e em uma redução significativa também nos índices de poluição do ar e sonora. Será que você já tinha pensado por este lado? Além disso, as empresas também economizam água, energia elétrica e outros recursos.

Seja o seu home office permanente ou temporário, ele será sustentável!

 

Moradia, trabalhando para o seu bem-estar!

 

 

Fonte: Resultados Digitais