fbpx
1 Comentário

Chuvas de verão. Fique atento para economizar.

Época do ano é propícia para armazenar água da chuva em recipientes para reutilização e também de riscos de desabamentos.

O clima vem esquentando e o calor aumentando gradativamente nessa estação do ano que é muito esperada por uns e muito temida por outros: o verão. Com ele vem também a loucura do tempo: ou seca demais, ou chove demais. Pensando nisso, nós, da Moradia Imobiliária, preparamos para você uma dica super bacana para aproveitar esse ótimo e também perigoso fenômeno da natureza: a chuva!

Economia durante as chuvas

As chuvas torrenciais de verão podem ajudá-lo a economizar água em sua casa ou apartamento se você souber como reaproveitá-la corretamente. As edificações públicas, comerciais e residenciais são responsáveis por cerca de 20% de toda a água consumida no país e este índice aumenta no verão, onde se consome muito mais água.

O índice preocupa o setor de construção civil, que se mobiliza para criar soluções para reduzir o desperdício, a partir do desenvolvimento de tecnologias que permitam diminuir os impactos ambientais. E deve preocupar você também! Além de ser uma medida ambientalmente correta, o aproveitamento da água da chuva proporciona economia, porque reduz gastos com água tratada, que estão cada vez mais elevados.

O investimento para a implantação desse tipo de sistema é compensado rapidamente com a economia feita no consumo de água tratada. Os custos variam de acordo com as características de cada imóvel, com a quantidade de água de chuva a ser reaproveitada e com o uso final a que se destina.

Como fazer

A implantação do sistema é simples, com sua adaptação aos elementos da rede hidráulica do imóvel ou do condomínio. O aproveitamento da água de chuva é composto, basicamente, por quatro subsistemas: CAPTAÇÃO, ENCAMINHAMENTO, ARMAZENAMENTO E TRATAMENTO.

A captação é feita por calhas instaladas nos telhados e o encaminhamento se dá por meio de tubulação hidráulica, que leva a água da chuva captada para o reservatório, geralmente uma caixa d’água comum, só que situada abaixo do sistema de captação. Já os equipamentos e técnicas de tratamento variam em função do destino que será dado à água aproveitada.

Usos

Se o destino da água aproveitada for lavação de áreas externas como calçadas, garagens ou playground, além de automóveis e irrigação de quintais, jardins e hortas o tratamento se dá no próprio sistema de captação, com filtros instalados nas calhas para a retenção de resíduos como folhas ou impurezas trazidas pelas chuvas. Já se a água for usada para outros fins como banhos, descargas sanitárias ou mesmo consumo humano e animal, o tratamento deve ser feito após o armazenamento, por empresas especializadas para a desinfecção e clorificação.

Não faça você mesmo se não tem conhecimento. Tudo que remete à conservação da saúde deve ser realizado por profissionais especializados e treinados, com segurança e profissionalismo.

Riscos durante as chuvas

As chuvas de verão além de trazerem oportunidade de economia, trazem também prejuízos para quem possui imóvel em área considerada de risco. Fique atento e consulte na prefeitura se a área de sua residência é segura ou fica em área de risco, tanto de desabamento quanto de enchentes.

Em Ipatinga, a principal preocupação é com as ocorrências de deslizamentos de encostas. A situação se agrava pelo corte irregular de terrenos e o encharcamento do solo durante o período chuvoso, ocasionando enormes transtornos e danos à comunidade.

Nesse período as chuvas vêm fortes e, algumas vezes, chove em um dia o esperado para o mês inteiro. Fique atento e proteja-se previamente buscando orientação na Defesa Civil da cidade. Em Ipatinga o endereço é Rua Pouso Alegre, 34, Centro. O telefone para informações é 31-3829-8414. Em caso de emergência o telefone para contato é o 199.

Nenhum Comentário

Proteja sua casa do Aedes Aegypti

Época do ano é propícia para o surgimento do mosquito transmissor de doenças

O fim do ano, as festas, o início do verão, as férias escolares das crianças, o décimo terceiro salário, a reunião da família… Vários são os motivos que nos levam a viajar nesta época do ano e, além de organizar as malas para a viagem, é importante cuidar para que sua casa fique protegida de um mal que está se proliferando, vem assustando a população e é muito perigoso: o mosquito Aedes Aegypti.

E não importa se você mora em casa ou apartamento, o mosquito parece ter radar para descobrir água parada em qualquer cantinho! Como as chuvas de verão ainda não deram trégua, nada de descuidar da prevenção contra essa praga.

O Aedes Aegypti ficou conhecido como o mosquito da dengue e, agora, além disso, ele também transmite o Zika Vírus e o Chikungunya, fazendo com que todo o país entre em estado de atenção para combatê-lo.

A água parada, seja ela em um balde esquecido no quintal ou em um pratinho de planta pode ajudar na proliferação do mosquito. O ciclo de reprodução, do ovo à forma adulta, leva em média de cinco a dez dias e, por isso, é preciso estar atento, eliminando pontos de proliferação em sua residência.

Pratinhos de plantas são criadores propícios para o mosquito da dengue. Mantenha-os secos.

Em sua casa:

Área externa assegure-se que:
· A caixa d’água está vedada.
· As calhas estão limpas e sem concentração de água.
· Galões, poços e tambores estão fechados.
· Garrafas e baldes vazios estão com a boca virada para baixo.
· Piscina coberta com lona ou vedada.
· Pratos de vasos de planta com areia até a borda.
Área interna verifique se:
· Os ralos estão tampados.
· As tampas dos vasos sanitários estão abaixadas.
· As vasilhas dos bichos de estimação estão limpas e protegidas da chuva.
· A bandeja coletora de água do ar-condicionado está limpa e seca.
· A bandeja externa na geladeira está limpa e seca.
· Pratinhos de flores com terra até a borda.

Em seu condomínio:

· Ralos externos e canaletas de drenagens para água da chuvas: usar tela de nylon para proteção ou colocar sal semanalmente.
· Ralos internos de esgoto: colocar tampa abre-e-fecha ou tela de nylon (trama de um milímetro) ou, ainda, duas colheres de sopa de sal, no mínimo, semanalmente.
· Lajes e marquises: manter o escoamento de água desobstruído e sem depressões que permitam acúmulo de água, eliminando eventuais poças após cada chuva.
É de responsabilidade de todos no condomínio zelar pela saúde pública e colaborar para que o mosquito não se reproduza.
· Calhas: manter sempre limpas e sem pontos de acúmulo de água.
· Fossos de elevador: verificar semanalmente se existe acúmulo de água, providenciando o escoamento por bombeamento.
· Vasos sanitários sem uso diário: manter sempre tampados, acionando a descarga e semanalmente; caso não possuam tampa, vedar com saco plástico aderido com fita adesiva. Não sendo possível a vedação, acionar a válvula semanalmente, adicionando a seguir duas colheres de sopa de sal.
· Caixas de descarga sem tampa e sem uso diário: tampar com filme plástico ou saco plástico aderido com fita adesiva.
· Pratos e pingadeiras de vasos de plantas: substituir a água por areia grossa no prato ou pingadeira, até a borda.
· Caixas d´água: mantê-las vedadas (sem frestas), providenciando a sua limpeza periodicamente.
· Piscinas em período de uso: efetuar o tratamento adequado com cloro.
· Piscinas sem uso freqüente: reduzir o máximo possível o volume de água e aplicar, semanalmente, cloro na dosagem adequada ao volume de água.
· Recipientes descartáveis: acondicionar em sacos de lixo e disponibilizá-los para coleta rotineira da limpeza pública.
· Bromélias: substitua por outro tipo de planta que não acumule água. Enquanto esta providência for adotada, regar abundantemente com mangueira sob pressão, duas vezes por semana.

Sobre o mosquito e suas doenças

Somente a fêmea do mosquito Aedes Aegypti pode transmitir as doenças. De acordo com o Ministério da Saúde, ao apresentar qualquer sintoma é necessário procurar diretamente um médico. Repelentes e inseticidas ajudam a proteger as pessoas do mosquito, evitando assim que ele seja picado.

Sintomas:

Dengue: Um dos primeiros sintomas a aparecer é a febre alta (39º a 40º). Geralmente dura de 2 a 7 dias. Além disso, dores de cabeça, no corpo e nas articulações. Fraqueza, dor atrás dos olhos, coceira, perda de peso, náuseas e vômitos. Vale lembrar que a infecção por dengue pode ser assintomática (não apresentar sintomas), leve ou grave, levando à morte. Vale lembrar que existem 4 tipos de dengue, e a pessoa pode ser infectada mais de uma vez.

Mosquito Aedes Aegypti
Chikungunya: Se a pessoa for infectada uma vez, ela ficará imune pelo resto da vida. Dentre os sintomas estão febre alta, dores intensas nas articulações dos pés e das mãos, dedos, tornozelos e pulsos. Manchas vermelhas na pele. Dores de cabeça e nos músculos não estão descartadas.

Zika Vírus: De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 80% das pessoas que são infectadas pelo Zika não desenvolvem sintomas, porém alguns sinais devem ser levados em consideração como: dor de cabeça, febre baixa, dores levas nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Além disso, podem aparece inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômito. Geralmente os sintomas desaparecem espontaneamente, após 3 a 7 dias.

Aqui você é #maisquebemvindo

Nenhum Comentário

Caixas d’água e de gordura sem limpeza: risco para a saúde

Se você vai comprar um imóvel, se mudar de aluguel ou é morador antigo do imóvel e nunca se preocupou com a caixa d’água e com a caixa de gordura, trouxemos para você as recomendações de limpeza e desinfecção desses recipientes para que você se proteja dos riscos proporcionados pela má utilização e má conservação.

Caixa d’água

Tomar banho, preparar alimentos, lavar a louça, usar a descarga. Estas são algumas atitudes cotidianas que são possíveis porque a água da companhia de abastecimento chega até a sua residência e é armazenada em caixas d’água, das quais poucos se lembram. Mantê-las limpas então, mais difícil ainda de lembrar. A recomendação de especialistas é higienizar o reservatório doméstico a cada seis meses. O serviço é indicado para analisar se existe algum vazamento e preservar a saúde dos moradores da residência, já que o acúmulo de sujeira e micro-organismos pode contaminar a água.

A caixa d’água serve como reserva em caso de haver problema no abastecimento da companhia de saneamento do estado. Segundo a empresa, a garantia de qualidade da água vai até o hidrômetro e, a partir daí, a responsabilidade é do cliente. Agentes de saúde alertam que, com o passar do tempo, micro-organismos criados pela própria água e levados até o reservatório pela canalização da rede hidráulica podem comprometer a qualidade do líquido.

Limpeza ajuda a assegurar a qualidade da água que servimos para nossa família.
Luciene Araújo, gerente da Moradia Imobiliária, alerta para os produtos a serem utilizados no momento da limpeza. “Não é recomendável o uso de panos que soltem resíduos, vassouras, detergente ou quaisquer outros produtos que possam contaminar a água. Água sanitária ou cloro e uma flanela ou bucha são os ideais para a tarefa”, disse. Ela orienta também aos moradores que fechem suas saídas de água durante a operação para evitar o desperdício.

“Fechar antes e abrir depois para sair o cloro dos canos, por pelo menos uns minutinhos de água corrente na torneira para eliminar os resíduos do produto é fundamental para preservar a saúde de todos. Colocar adesivos com a data da limpeza também é uma boa para se orientar”, comentou. A caixa d’água deve sempre estar bem fechada, evitando assim a entrada de animais, insetos e vetores de doenças. Com a epidemia de Dengue, Zika Vírus e Chikungunya a atenção deve ser redobrada.

Se o condomínio não possui uma Conservadora, os moradores devem ficar atentos para efetuarem a limpeza ou contratarem uma empresa especializada para isso. É fundamental para garantir a qualidade de vida de todos.

Caixa de gordura

Você sabe para que serve a caixa de gordura instalada em seu imóvel? Muita gente não tem conhecimento da utilidade e da importância de uma boa limpeza nesse recipiente. A caixa de gordura é como um grande balde, que fica bem abaixo do piso, deixando visível apenas a sua tampa. Sua função é impedir que o material gorduroso dos alimentos, que vai com a água literalmente para o ralo, chegue à rede de esgoto.

Caixas de gordura devem ser limpas pelo menos a cada três meses.
Dependendo do tamanho, a limpeza da caixa de gordura deve ser realizada quinzenalmente ou pelo menos uma vez a cada três meses, dependendo do imóvel e do ritmo da cozinha. Por exemplo, a demanda de uma casa é diferente daquela adotada em um prédio ou em um restaurante. Evite despejar restos de comida nos ralos. Os alimentos, junto com o óleo utilizado para sua preparação, podem ser os grandes vilões das redes hidráulicas.

Muitas pessoas tentam limpar a caixa de gordura com espátulas e água quente, mas este segundo componente pode prejudicar ainda mais a situação. As caixas de gorduras atuais são feitas de PVC e a água com temperatura elevada pode provocar danos ao material. Use cloro e bucha, se a situação estiver muito ruim, chame uma empresa especializada.