fbpx
Nenhum Comentário

Proteja sua casa do Aedes Aegypti

Época do ano é propícia para o surgimento do mosquito transmissor de doenças

O fim do ano, as festas, o início do verão, as férias escolares das crianças, o décimo terceiro salário, a reunião da família… Vários são os motivos que nos levam a viajar nesta época do ano e, além de organizar as malas para a viagem, é importante cuidar para que sua casa fique protegida de um mal que está se proliferando, vem assustando a população e é muito perigoso: o mosquito Aedes Aegypti.

E não importa se você mora em casa ou apartamento, o mosquito parece ter radar para descobrir água parada em qualquer cantinho! Como as chuvas de verão ainda não deram trégua, nada de descuidar da prevenção contra essa praga.

O Aedes Aegypti ficou conhecido como o mosquito da dengue e, agora, além disso, ele também transmite o Zika Vírus e o Chikungunya, fazendo com que todo o país entre em estado de atenção para combatê-lo.

A água parada, seja ela em um balde esquecido no quintal ou em um pratinho de planta pode ajudar na proliferação do mosquito. O ciclo de reprodução, do ovo à forma adulta, leva em média de cinco a dez dias e, por isso, é preciso estar atento, eliminando pontos de proliferação em sua residência.

Pratinhos de plantas são criadores propícios para o mosquito da dengue. Mantenha-os secos.

Em sua casa:

Área externa assegure-se que:
· A caixa d’água está vedada.
· As calhas estão limpas e sem concentração de água.
· Galões, poços e tambores estão fechados.
· Garrafas e baldes vazios estão com a boca virada para baixo.
· Piscina coberta com lona ou vedada.
· Pratos de vasos de planta com areia até a borda.
Área interna verifique se:
· Os ralos estão tampados.
· As tampas dos vasos sanitários estão abaixadas.
· As vasilhas dos bichos de estimação estão limpas e protegidas da chuva.
· A bandeja coletora de água do ar-condicionado está limpa e seca.
· A bandeja externa na geladeira está limpa e seca.
· Pratinhos de flores com terra até a borda.

Em seu condomínio:

· Ralos externos e canaletas de drenagens para água da chuvas: usar tela de nylon para proteção ou colocar sal semanalmente.
· Ralos internos de esgoto: colocar tampa abre-e-fecha ou tela de nylon (trama de um milímetro) ou, ainda, duas colheres de sopa de sal, no mínimo, semanalmente.
· Lajes e marquises: manter o escoamento de água desobstruído e sem depressões que permitam acúmulo de água, eliminando eventuais poças após cada chuva.
É de responsabilidade de todos no condomínio zelar pela saúde pública e colaborar para que o mosquito não se reproduza.
· Calhas: manter sempre limpas e sem pontos de acúmulo de água.
· Fossos de elevador: verificar semanalmente se existe acúmulo de água, providenciando o escoamento por bombeamento.
· Vasos sanitários sem uso diário: manter sempre tampados, acionando a descarga e semanalmente; caso não possuam tampa, vedar com saco plástico aderido com fita adesiva. Não sendo possível a vedação, acionar a válvula semanalmente, adicionando a seguir duas colheres de sopa de sal.
· Caixas de descarga sem tampa e sem uso diário: tampar com filme plástico ou saco plástico aderido com fita adesiva.
· Pratos e pingadeiras de vasos de plantas: substituir a água por areia grossa no prato ou pingadeira, até a borda.
· Caixas d´água: mantê-las vedadas (sem frestas), providenciando a sua limpeza periodicamente.
· Piscinas em período de uso: efetuar o tratamento adequado com cloro.
· Piscinas sem uso freqüente: reduzir o máximo possível o volume de água e aplicar, semanalmente, cloro na dosagem adequada ao volume de água.
· Recipientes descartáveis: acondicionar em sacos de lixo e disponibilizá-los para coleta rotineira da limpeza pública.
· Bromélias: substitua por outro tipo de planta que não acumule água. Enquanto esta providência for adotada, regar abundantemente com mangueira sob pressão, duas vezes por semana.

Sobre o mosquito e suas doenças

Somente a fêmea do mosquito Aedes Aegypti pode transmitir as doenças. De acordo com o Ministério da Saúde, ao apresentar qualquer sintoma é necessário procurar diretamente um médico. Repelentes e inseticidas ajudam a proteger as pessoas do mosquito, evitando assim que ele seja picado.

Sintomas:

Dengue: Um dos primeiros sintomas a aparecer é a febre alta (39º a 40º). Geralmente dura de 2 a 7 dias. Além disso, dores de cabeça, no corpo e nas articulações. Fraqueza, dor atrás dos olhos, coceira, perda de peso, náuseas e vômitos. Vale lembrar que a infecção por dengue pode ser assintomática (não apresentar sintomas), leve ou grave, levando à morte. Vale lembrar que existem 4 tipos de dengue, e a pessoa pode ser infectada mais de uma vez.

Mosquito Aedes Aegypti
Chikungunya: Se a pessoa for infectada uma vez, ela ficará imune pelo resto da vida. Dentre os sintomas estão febre alta, dores intensas nas articulações dos pés e das mãos, dedos, tornozelos e pulsos. Manchas vermelhas na pele. Dores de cabeça e nos músculos não estão descartadas.

Zika Vírus: De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 80% das pessoas que são infectadas pelo Zika não desenvolvem sintomas, porém alguns sinais devem ser levados em consideração como: dor de cabeça, febre baixa, dores levas nas articulações, manchas vermelhas na pele, coceira e vermelhidão nos olhos. Além disso, podem aparece inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômito. Geralmente os sintomas desaparecem espontaneamente, após 3 a 7 dias.

Aqui você é #maisquebemvindo

Comments (0)