Nenhum Comentário

Home Staging: melhorando sua venda

Técnica impulsiona transações imobiliárias em todo o Brasil

Chegou aquele momento que você vai se desfazer do seu atual imóvel e pensa em colocá-lo a venda para adquirir um novo ou apenas para fazer aquela grana que precisa? Sabemos que, na situação econômica que o mercado brasileiro se encontra, não podemos deixar nada para depois e precisamos valorizar o que temos para atrair potenciais compradores.

Os proprietários mais antenados estão entendendo um conceito que surgiu no mercado a algum tempo e que tem feito muita diferença nas transações imobiliárias. Hoje, sabe-se que não basta apenas ter um imóvel bem localizado ou com boa configuração de planta, é necessário prepará-lo para a venda.

E este conceito, recurso ou técnica de preparação do imóvel que facilita ricamente o seu processo de venda tem um nome: Home Staging.

O que é?

O termo “home staging” significa “encenação da casa”, literalmente. Como prática, consiste em tornar o imóvel o menos personalizado possível de modo que ele fique mais atrativo ao maior número possível de potenciais compradores. Lembrando sempre que essa preparação não deve ser confundida obrigatoriamente com obra ou com projeto de decoração.

Antes de um imóvel ser divulgado para a venda é necessário deixá-lo bem apresentável para o comprador em potencial, e é nisso que o home staging basicamente consiste: reorganizar, repaginar o imóvel.

Todas essas benfeitorias têm como objetivo fazer o registro fotográfico, já que, atualmente, a maior parte dos clientes busca o imóvel no ambiente digital.

No Vale do Aço, segundo dados de pesquisas realizadas pela Moradia Imobiliária, o público tem mudado o perfil de procura e está mais seletivo. “O fluxo de clientes via meios digitais tem crescido nos últimos anos e estamos nos adaptando para esse mercado cada vez mais exigente. O cliente não busca no seu smartphone só por preço, busca por qualidade também, e uma boa foto, com um ambiente limpo e atrativo, desperta uma melhor primeira impressão”, conta Francislaine Cristina, corretora na Moradia há mais de dez anos.

Origem do termo

Surgidas nos Estados Unidos em 1972 e aplicadas hoje em toda a Europa, as técnicas que sustentam este conceito foram desenvolvidas com base no design, psicologia e sociologia.

Aplicação no mercado imobiliário

Grande parte das imobiliárias não se preocupa com as fotos para divulgação em seus meios digitais. O proprietário deve chamar a atenção para isso e exigir uma divulgação de boa qualidade, que corresponda a valorização que o home staging proporciona para o imóvel.

As fotos dos imóveis são um dos principais e primeiros fatores que os clientes olham ao buscar o imóvel e, se o mesmo estiver desorganizado, sujo ou avariado, pode diminuir bastante suas chances de venda.

Na Moradia a preocupação com a divulgação dos imóveis é prioridade. Uma equipe de Marketing, com fotógrafo experiente e com olhar diferenciado trabalha para que os imóveis estejam da maneira mais atrativa para os clientes. No nosso site você pode conferir os imóveis a venda e também para locação.

Se o imóvel tiver passado pelas mãos dos profissionais de home staging as possibilidades de uma melhor divulgação e venda mais rápida aumentam.

Valores

O investimento que o proprietário fará nesse tipo de serviço é cobrado pelo valor hora do profissional ou sob o valor do imóvel por meio de comissão. Esse dispêndio é compensando pelo aumento da liquidez do imóvel e pela aceleração no processo de venda. O preço final do imóvel que tiver este serviço pode aumentar em até 15%.

Nenhum Comentário

Como morar ecologicamente correto

A conservação do meio ambiente está entre as maiores preocupações deste século e a Moradia Imobiliária já está no caminho da sustentabilidade, produzindo sua própria energia elétrica através de sua usina de micro-geração de energia fotovoltaica, além de outras diversas atitudes tomadas em favor da preservação da natureza dentro da empresa. E você, está no caminho da sustentabilidade também?
Se vai se mudar para sua casa nova ou quer fazer umas reformas para ajustar a sua moradia para ajudar na preservação do meio ambiente e não sabe o que fazer, nós separamos para você algumas dicas de como ter uma moradia sustentável, ou uma “casa verde”, aquelas com práticas ecológicas e que utilizam reciclagem de material, ou de alguma forma proporcionam economias ao meio ambiente e menos impacto á natureza.
Ao pensar em habitar uma casa verde o morador (ou futuro morador) deve levar em consideração diversos fatores como a escolha certa dos materiais e com a quantidade de energia a ser utilizada. A transformação em uma casa sustentável deve ser toda pensada de modo que se gaste pouco de tudo, não onerando a natureza nem o seu bolso.
Muitas opções
O mercado hoje oferece uma gama enorme de materiais reciclados e sustentáveis como tijolos feitos de garrafas pet, madeira de reflorestamento para vigas e móveis, fibras das mais diversas utilizadas para revestimento de paredes oferecendo conforto térmico e acústico aos ambientes, entre muitos outros. Há alternativas de sustentabilidade como a captação da água da chuva e as placas de captação de energia solar, e o resultado delas ajuda bastante o meio ambiente, economizando milhões de litros de água utilizados nas usinas de energia.
Uma opção interessante para se aplicar na sua casa ou prédio é o telhado verde. É um jardim suspenso, que consiste na aplicação e uso de solo e vegetação sobre uma camada impermeável do telhado. Entre as vantagens estão a facilitação da drenagem, o isolamento acústico e térmico, o diferencial estético e ambiental na edificação.
O telhado verde proporciona também um ambiente muito mais fresco, mantendo o edifício protegido de temperaturas extremas, especialmente no verão, reduzindo em até 3°C. Em ambientes totalmente urbanos, promovem o reequilíbrio ambiental, trazendo os benefícios da vegetação para a saúde pública e a biodiversidade, quando com plantas nativas do local.

O que mais se pode fazer?

Troque as lâmpadas por modelos mais novos, fluorescentes ou de LED, que economizam mais energia.
Lâmpada fluorescente. Use à vontade! Além de durar 10 vezes mais que uma lâmpada incandescente, a fluorescente consome 80% menos energia. Apesar de custar em torno de seis vezes mais que uma lâmpada comum, ainda compensa devido a sua alta durabilidade.
Lave a louça com a torneira fechada! A recomendação é ensaboar toda a louça primeiro e somente abrir a torneira para enxaguá-la. Saiba que 15 minutos de torneira aberta corresponde a mais de 240 litros de água. A mesma economia também pode ocorrer com o fechamento da torneira ao escovar os dentes e ensaboar o corpo no hora do banho. Outra dica é instalar arejadores nas torneiras da cozinha e dos banheiros, são baratos e podem gerar uma economia de 60%.
Selo Procel identifica produtos com melhor eficiência energética.

Lixo. Separe o orgânico do reciclável Na cozinha, vale ter dois lixos, uma para depositar os restos de comidas e outra para o lixo que não é lixo como plásticos, papéis, metais e vidros. Esta simples atitude reduz a sobrecarga nos aterros sanitários além de reduzir o consumo de matéria-prima nas indústrias.

Vai às compras? Sacolas retornáveis à mão! Leve a sua própria embalagem de casa. Não traga para sua casa sacolas plásticas do supermercados ou feiras.
Selo Procel. Dê preferência! O Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) foi criado pelo governo para ajudar o consumidor a escolher produtos que oferecem alta eficiência energética. Produção natural Todo produto industrializado exige, em sua fabricação, o consumo de grandes quantidades de energia. Isto implica na emissão de toneladas de CO2 na atmosfera. Pense nisso.
Plante muito, e de tudo! As árvores tem o poder de “sequestrar” o carbono da atmosfera. Plante quantas unidades puder seja no quintal de sua casa, em vasos, na praça próxima de sua casa ou trabalho.